05/01/2012

AGAL lamenta o falecimento de Isaac Díaz Pardo e chama a se inspirar no seu compromisso

Tirado de aqui.
A associaçom homenageou-no em 2008 e dedicou-lhe um diploma por «bom e generoso» · Tinha clara a conceçom da unidade lingüística galego-portuguesa

Díaz Pardo na homenagem que lhe dedicou a AGAL

PGL - O Conselho da Associaçom Galega da Língua (AGAL) lamenta o passamento do artista e empresário cultural Isaac Díaz Pardo, falecido hoje. A entidade reintegracionista salienta a sua condiçom como pessoa «profundamente comprometida com o País», prova do qual foi o «compromisso insubornável com a língua da Galiza» que o caraterizou.

A AGAL, entidade na qual Isaac Díaz Pardo tinha muitas amizades, lembra a homenagem que a associaçom organizou em 2008. No decurso desta entregou-lhe um diploma que reconhecia o seu trabalho como galego «bom e generoso», e dedicou à sua pessoa o livro Isaac Díaz Pardo e a Língua, obra com a qual a AGAL iniciou a coleçom literária Testemunhos.

Isaac Díaz Pardo e Isaac Alonso Estraviz

É nessa obra, dividida em vários volumes, que melhor se podem corroborar esses vínculos entre Díaz Pardo e a associaçom. Nela, diferentes pessoas com responsabilidades na associaçom referiam-se ao prestigiado inteletual como umha pessoa capaz de sentir «angústia» se a sua obra ficar inacabada ou seguir «roteiros fora da identidade galega», «um desses milagres que se produzem por fortuna de quando em vez neste país para que sigamos a ter esperança», um galego com «clara conceçom da unidade lingüística galego-portuguesa» ou «só que tivéramos cem mais como Isaac esta terra seria outra».

Exemplo dessa conceçom é a publicaçom em normativa reintegracionista do trabalho Tentando construir uma esfinge de Pedra. Desassossegos de Isaac Díaz Pardo, publicado por Ediciós do Castro.

+ Ligações relacionadas:
Postar um comentário