18/10/2011

O cártel fascista español chora o fim da ETA

Celso Álvarez Cáccamo. Tirado do Facebook do autor.

O cártel fascista español chora o fim da ETA. Capas de três panfletos amarelistas de 18 de outubro de 2011. Sobem as vendas. Sobem os benefícios. Já há "comidilla" para o café dos tudólogos. Nos blogues saltam faíscas. Os jantares enchem-se de adjetivos e insultos. O jornalismo español alcança uma nova dimensão: a Linguagem 18-O entra em novos parágrafos dos Manuais de Estilo. Chovem subsídios oficiais. O fascismo quenta motores para o show do 7-N prévio ao 20-N, quando se ganham e se perdem as eleições, que é o mesmo. A luta de classes consiste em ocupar as abreviaturas do calendário. Madrid, essa ruína mental, cheira a papel com grassa, ao suor sem chuva dos impérios lamentáveis.


Postar um comentário