05/01/2012

600 mil crianças perdem abono de família

Notícia tirada de aqui.

Entre outubro de 2010 e novembro de 2011, a segurança social registou menos 600 mil beneficiários do abono de família. O corte nesta prestação resultou da alteração da condição de recursos, imposta o ano passado, e que é duramente criticada pela Confederação das Associações de Pais (Confap).
“Para se ter direito ao primeiro escalão do abono de família é preciso ser-se quase indigente”, alerta o presidente da Confap.
“Para se ter direito ao primeiro escalão do abono de família é preciso ser-se quase indigente”, alerta o presidente da Confap. 
 

As novas regras da condição de recursos, que deliberaram a consideração de um leque mais alargado de rendimentos para efeitos da atribuição da prestação e baixaram o valor dos rendimentos que dão acesso à mesma, resultaram quer na diminuição do valor das prestações quer na redução do número de beneficiários.

“Para se ter direito ao primeiro escalão do abono de família é preciso ser-se quase indigente”

“Para se ter direito ao primeiro escalão”, alerta Albino Almeida, presidente da Confap, “é preciso ser-se quase indigente”.

A Confap alerta ainda para a existência de uma nova “pobreza envergonhada”, que deve ser devidamente acompanhada e para a necessidade de as escolas passarem a ser auscultadas no âmbito do Plano de Emergência Social.

Segundo Albino Almeida, a Confap tem estado em conversações com o governo do PSD/CDS-PP sobre os cortes no abono de família desde junho, sem quaisquer resultados práticos.
Postar um comentário