02/01/2014

Dívida portuguesa: Uma das mais rentáveis para os credores

Notícia tirada de aqui.

As dívidas da Grécia, da Irlanda, da Espanha e de Portugal foram as mais rentáveis para os credores, a nível mundial em 2013. Ao contrário, as dívidas de Alemanha, EUA e Grã-Bretanha tiveram rentabilidades negativas. A rentabilidade anual da dívida portuguesa foi de 9,62%.
Dívidas da Grécia, da Irlanda, da Espanha e de Portugal foram as mais rentáveis para os credores – Foto euros de aranjuez1404/flickr 
 
Segundo o índice da Bloomberg citado pelo site do jornal Expresso, a rentabilidade das obrigações do Tesouro de Portugal foi a quarta mais elevada entre as 34 dívidas soberanas de todo o mundo, que foram analisadas.

A mais rentável foi a dívida grega, com uma rentabilidade de 47,72% das obrigações do Tesouro da Grécia. A da Irlanda foi de 12,21%, enquanto a da Espanha atingiu os 11,41%.

As obrigações do Tesouro de Portugal tiveram em 2013 uma rentabilidade anual de 9,62%, refere o Expresso citando o Bloomberg Global Benchmark Sovereign Bond Index.

Ao contrário as dívidas da Alemanha, dos Estados Unidos, da Grã-Bretanha e da Suíça tiveram uma rentabilidade negativa. As obrigações alemãs tiveram uma rentabilidade de -2,05%, as dos EUA de -3,37%, enquanto as obrigações britânicas e suíças tiveram perdas superiores a 4%.

Como o Bloco de Esquerda tem assinalado, o programa de austeridade tem provocado o aumento da dívida pública e dos juros. A alternativa, como a coordenadora do Bloco, Catarina Martins, afirmou no debate do OE para 2014 passa pela exigência da “renegociação da dívida, com um programa para a diminuição do seu peso no PIB e indexação dos juros ao crescimento da economia e às exportações”.

Os dados da rentabilidade das dívidas soberanas tornam também bem claro que a política de austeridade favorece os países dominantes como EUA, Alemanha e Grã-Bretanha.
Postar um comentário